Topo
Histórias do Mar

Histórias do Mar

Categorias

Histórico

5 iates de brasileiros famosos que rivalizam com o de estrelas mundo afora

Jorge de Souza

23/07/2019 10h48

O novo barco do tenista Rafael Nadal, um catamarã Sunreef de 80 pés (25 metros) de comprimento, fabricado na França e que custou o equivalente a R$ 22,6 milhões, vem causando furor mundo afora.

Mas não é preciso sair do Brasil para encontrar iates ainda maiores e mais caros – e isso apenas entre os mais famosos.

Português dá volta ao mundo navegando para envelhecer 200 litros de vinho 
Atravessar o maior lixão dos mares a nado: o novo desafio do supernadador 
O que aconteceu com o capitão argentino? Um ano depois, o mistério continua

Roberto Justus – Azimut Grande 30 Metri – R$ 45 milhões

O empresário e apresentador de televisão Roberto Justus recebeu, em junho, o seu novo iate, que é simplesmente um dos maiores (e mais caros) que o Brasil já teve.

Batizado de Titanium II (o anterior se chamava apenas Titanium), o barco é uma lancha Azimut Grande 30 Metri (o nome já mostra o seu comprimento).

Produzida em Santa Catarina, mas com projeto italiano, a embarcação possui quatro suítes, três andares (ou deques, em linguagem náutica), cozinha completa, sala de estar e de jantar, banheira de hidromassagem ao ar livre com capacidade para oito pessoas ao mesmo tempo e até uma sala privativa de cinema. No total, são mais de 300 m² de área útil a bordo — bem mais do que muito apartamento de luxo em São Paulo.

Preço estimado: cerca de R$ 45 milhões.

Roberto Carlos – Falcon 115 – R$ 45 milhões

O Rei da Jovem Guarda e eterno queridinho das mulheres de todo o país sempre teve grandes iates — e todos batizados com o mesmo nome: Lady Laura, uma homenagem à sua mãe. Mas nenhum tão grande quanto o atual, o Lady Laura IV — que, no entanto, não é tão novo assim.

Comprado em 2011, na Itália, do estaleiro Falcon, e importado para o Brasil em seguida, o iate de 115 pés (ou 35 metros) de comprimento tem cinco suítes e porte de um pequeno navio.

Só para acomodar a tripulação há três camarotes de serviço. Mesmo assim, é pouquíssimo usado pelo cantor e passa a maior parte do tempo atracado na Marina da Glória, no Rio de Janeiro, ao lado de outro iate lendário: o Tamarind, que pertenceu ao dono da Rede Globo, Roberto Marinho.

Preço estimado (na época da compra): cerca de R$ 45 milhões.

Luciano Huck – Riostar 120 – R$ 30 milhões

O apresentador do Caldeirão sempre adorou o mar — sobretudo quando a bordo de um grande barco. Por isso, depois de ter passado por lanchas (um pouco) menores, resolveu arrasar e mandou construir um dos maiores iates que o Brasil já teve: o Bejoa, (o nome, um tanto estranho, é a junção das letras dos nomes Benício, Joaquim e Eva, filhos dele com a apresentadora Angélica, tal qual fizera o ator Johnny Deep um pouco antes, ao batizar seu iate de Vajoliroja).

O iate, construído no Brasil pelo estaleiro Riostar, mas com interior criado por estilistas italianos, como Paola Lenti, uma das designers de mobiliário mais premiadas do mundo, tem 120 pés (ou quase 40 metros) de comprimento, quatro pisos, quatro suítes, duas cozinhas e até uma academia de ginástica.

Ele ficou pronto no início de 2017 e, desde então, vem sendo bastante usado pela família, que possui, também, uma ilha particular em Angra dos Reis, onde o barco fica guardado.

Preço estimado: cerca de R$ 30 milhões.

Joesley Batista – Azimut 103S – R$ 20 milhões

Anos atrás, a principal atração do maior salão náutico do Brasil, o Rio Boat Show, foi um lindo iate italiano da marca Azimut, com 103 pés (cerca de 32 metros) de comprimento, que havia acabado de chegar ao país.

Seu dono era o (até então) pouco conhecido empresário Joesley Batista, que havia encomendado o barco, um dos maiores feitos na fábrica italiana naquele ano.

Tinha três andares, capacidade total para 25 pessoas, quatro amplas suítes finamente decoradas (a principal, com 20 m² de área) e um salão com área de estar, jantar, bar, além de uma espécie de lounge aberto na frente do barco, para quem quisesse relaxar ao ar livre. E um nome provocador: "Why Not" ("Por que não?", em português).

Mas, tempos depois, o mesmo barco foi embarcado num navio e levado para Miami, apenas dois dias antes de Joesley fazer a famosa delação que colocou o então Presidente da República Michel Temer em maus lençóis. Hoje, o barco não pertence mais a Joesley (que o vendeu em Miami) e não mais frequenta as águas brasileiras. Mas deixou histórias.

Preço estimado (na época da compra): cerca de R$ 20 milhões.

Gusttavo Lima – Intermarine 760 Full – R$ 13 milhões

Em 2015, o famoso cantor sertanejo que adora automóveis esportivos e possui um jatinho particular aumentou o seu portfólio ao comprar uma lancha da marca Intermarine, de 76 pés (pouco mais de 23 metros) de comprimento e quatro camarotes, que batizou com o emblemático nome de 007, com o mesmo grafismo do símbolo dos filmes de James Bond.

Em seguida, num lance ainda mais espetacular, a levou do mar para a cidade mineira de Capitólio, às margens da Represa de Furnas, onde o cantor costuma passar férias.  Foi o maior iate do país a navegar na famosa represa, que é considerada o mar de Minas Gerais, e só o seu transporte já foi um show à parte, como pode ser conferido neste vídeo.

Preço estimado: cerca de R$ 13 milhões.

Sobre o autor

Jorge de Souza é jornalista há quase 40 anos. Ex-editor da revista “Náutica” e criador, entre outras, das revistas “Caminhos da Terra”, “Viagem e Turismo” e “Viaje Mais”. Autor dos livros “O Mundo É Um Barato” e “100 Lugares que Você Precisa Visitar Antes de Dizer que Conhece o Brasil”. Criou o site www.historiasdomar.com, que publica novas histórias náuticas verídicas todos os dias, fruto de intensas pesquisas -- que deram origem a seu terceiro livro, também chamado "Histórias do Mar - 200 casos verídicos de façanhas, dramas, aventuras e odisseias nos oceanos", lançado em abril de 2019.

Sobre o blog

Façanhas, aventuras, dramas e odisseias nos rios, lagos, mares e oceanos do planeta, em todos os tempos.