Topo

Histórico

Categorias

Iates e DJ ao ar livre: a festa de abre do verão de paulistas bem-nascidos

Jorge de Souza

09/12/2019 14h35

Os tripulantes dos navios que entraram ou saíram do Porto de Santos na tarde e noite do último sábado (7) certamente estranharam o movimento incomum de lanchas e grandes iates parados diante da sede do Iate Clube de Santos, que fica no próprio canal do porto.

De lá brotavam fachos de luzes coloridas e uma vibrante música eletrônica, enquanto moças e rapazes sacudiam animadamente o esqueleto tanto no gramado do clube quanto nos próprios barcos.

Foi a primeira edição da Sunset Party ICS (Festa do Por-do-sol do Iate Clube de Santos), um evento que, segundo os organizadores, "marcou a abertura da temporada de verão no litoral paulista" – e em grande estilo, como há muito não se via no mais elitizado clube do litoral de São Paulo.

Mais de 500 convidados, a grande maioria bem-nascidas moças e rapazes, quase sempre filhos de velhos sócios do clube, encheram um gramado a beira do canal do porto de Santos em torno de "lounges" montados ao redor de um grande bar (onde uma simples água mineral custava R$ 10,00 e um drinque básico quatro ou cinco vezes isso), além de um palco central, onde cinco DJs revezaram-se durante dez horas de música eletrônica sem parar.

Não teve marinheiro ou tripulante dos navios que entravam ou saíam do porto (ou passageiros do primeiro cruzeiro de verão do litoral paulista, que partiu exatamente no mesmo horário), que não esticasse o pescoço, para ver o que estava acontecendo nas margens do canal.

"A ideia era resgatar os grandes eventos e a tradicional vida social do Iate Clube de Santos e acho que conseguimos isso", analisou um dos organizadores do evento, Renato Alcantara, antigo sócio do clube, que já programou mais três edições da festa. "A próxima será em fevereiro", avisa.

Banheiros refrigerados

Além da balada-maratona, que começou ainda com o sol brilhando e só terminou no início da madrugada, a festança teve exposição de iates de luxo da marca que patrocinou a festa, banheiros móveis equipados com ar-refrigerado e até uma "live painting", uma grande pintura feita por um artista durante o próprio evento, que, ao final, transformou um simples tapume numa enorme tela colorida, bem ao lado da pista de dança – que, por sua vez, ficava num gramado à beira do canal do porto de Santos.

Não teve ocupante de navio que não tenha esticado o pescoço para ver o que estava acontecendo naquela parte quase sempre erma – e feia – do porto de Santos.

Para participar da festa em grande estilo, donos de meia dúzia de iates pagaram um bom dinheiro para "estacionar" seus barcos bem diante da festa, em um píer exclusivo, de forma que não precisassem sequer desembarcar para curtir – uma das lanchas chegou com mais de 30 garotas, muitas delas ainda de biquínis, vindas de passeios no mar, para animar ainda mais o ambiente.

Já outros barcos optaram por ancorar nas margens do canal do maior porto do país, bem diante de uma fileira de lounges montados pelos organizadores, para também curtir a festa sem precisar também desembarcar seus ocupantes.

A maioria, no entanto, chegou à festa a bordo de barcos do serviço de leva e traz do clube, que fizeram a ligação permanente entre o estacionamento, onde abundavam carros esportivos importados, e a pista de dança, em pleno gramado. "Foi muito divertido, bonito e de bom gosto", resumiu um dos participantes da festança, que reuniu herdeiros de bons nacos do PIB do país.

E que, ainda por cima, fazendo jus ao próprio nome da festa, foi brindada com um pôr do sol magnífico, como há dias não se via no litoral paulista.

"Fizemos história", comemorou um dos encarregados da festa, já avisando que a próxima será "melhor ainda". Quem viver – e tiver dinheiro para isso – verá.

Sobre o autor

Jorge de Souza é jornalista há quase 40 anos. Ex-editor da revista “Náutica” e criador, entre outras, das revistas “Caminhos da Terra”, “Viagem e Turismo” e “Viaje Mais”. Autor dos livros “O Mundo É Um Barato” e “100 Lugares que Você Precisa Visitar Antes de Dizer que Conhece o Brasil”. Criou o site www.historiasdomar.com, que publica novas histórias náuticas verídicas todos os dias, fruto de intensas pesquisas -- que deram origem a seu terceiro livro, também chamado "Histórias do Mar - 200 casos verídicos de façanhas, dramas, aventuras e odisseias nos oceanos", lançado em abril de 2019.

Sobre o blog

Façanhas, aventuras, dramas e odisseias nos rios, lagos, mares e oceanos do planeta, em todos os tempos.